A Biblioteca da Escola da Missão de São José de Lhanguene, foi reinaugurada esta semana com um extraordinário melhoramento fruto do apoio da marca premium da SAM, "Água da Namaacha".

Foram oferecidos mais de 26.000 livros, escolares e outros, mobiliário e "Água da Namaacha". Desta forma, resultado do esforço conjunto da "Água da Namaacha" e dos cidadãos do município português de Alcobaça, esta biblioteca apresenta agora condições únicas e um equipamento bibliográfico excepcional que irá servir toda a comunidade daquela zona com uma população acima das 100.000 pessoas.

Os livros, bem como o mobiliário oferecido pela "Água da Namaacha", irão ser distribuídos também pela Escola de Artes e Ofícios da Moamba e pela Escola Técnica de Inharrime, cabendo cerca de 8.000 livros a cada instituição e servindo assim mais de 300.000 pessoas.

Na opinião do responsável pela Missão de São José de Lhanguene, Pe. Leal, esta acção da "Água da Namaacha" demostra um altíssimo sentido de responsabilidade social, de amor ao próximo e de vontade de realmente apoiar as pessoas mais carentes num sector vital para o desenvolvimento de Moçambique, como é o da Educação. O Pe. Leal considerou ainda esta acção como um exemplo da grande dignidade que a SAM tem, enquanto empresa, o que faz dela um dos expoentes máximos na colaboração para a construção das novas gerações de moçambicanas e moçambicanos e um exemplo a seguir por todas as empresas nacionais.

O responsável pela Missão de São José de Lhanguene, realçou ainda a importância fulcral dos alcobacenses e do município português de Alcobaça na realização deste projecto, deixando a todas estas pessoas um profundo agradecimento.

Falando em nome da Sociedade de Águas de Moçambique, proprietária da Marca "Água da Namaacha", Manuela Magaia, referiu que esta acção, inserida no quadro da responsabilidade social da empresa, reforça a estratégia seguida pela mesma já há alguns anos, cuja intenção é a de ser incrementada para envolver cada vez mais pessoas e comunidades, proporcionando às mesmas a possibilidade de elevarem o seu nível académico e cultural.

Manuela Magaia referiu a imensa alegria que toda a equipa da "Água da Namaacha" sente ao ver concluído este projecto e ao presenciar a felicidade espelhada no rosto de tantas moçambicanas e tantos moçambicanos. Para Manuela Magaia, este tipo de acções incorpora o ADN da "Água da Namaacha", da mesma forma como a "Água da Namaacha" incorpora o AdN de Moçambique.

"Ao contribuirmos para a elevação do conhecimento das pessoas, contribuímos para a elevação dos níveis de desenvolvimento do país e esse é o nosso grande desejo", referiu Manuela.